Hipótese da Suprasexualidade

27-01-2017 13:55

“É possível praticar o ato sexual sem perdas energéticas, transmutando toda libido em energia pura, que é reabsorvida pelo praticante, trazendo-lhe saúde e aprimoramento interno”.

Samael Aun Weor

 

       Este artigo foi originalmente escrito no dia de natal do ano de 2001, em um momento especial, transcendental, onde me foi permitido elevar minha frequência, atingindo as instâncias superiores do Ser que Sou. Desde então, já se passaram 15 anos de pesquisas e experiências nesta área, para torná-lo factível de ser publicado.

    O ato sexual realmente é um ponto forte da Humanidade. Homens e Mulheres buscam intensamente suas experiências sexuais. Nenhum outro animal tem uma atividade sexual tão intensa como a do Ser Humano. Homens e Mulheres aprenderam a usar o ato sexual como um meio poderosíssimo de aprimorar e intensificar os relacionamentos, gerar prazer e combater o estresse diário.

    O ato sexual é capaz de produzir uma grande quantidade de hormônios e outras substâncias internas que levam ao êxtase e a um relaxamento intenso fazendo, normalmente, com que o praticante durma após o ato. Este relaxamento profundo é encarado como positivo, apesar da imensa perda energética provocada a cada orgasmo.

    O ato sexual, normalmente, começa com a troca de olhares, palavras provocantes e excitantes, carinhos maravilhosos, beijos ardentes, toques pelo corpo todo até chegar à conexão. Nestes preciosos momentos, os olhos brilham, o corpo se aquece e os carinhos se tornam mais e mais intensos. Toda a natureza parece conspirar a favor dos amantes. Os corpos vibram intensamente, levando o casal a permanecerem num êxtase intenso e maravilhoso, como se pudessem flutuar pelo espaço.

    Juntos, formam algo semelhante a um ser andrógeno. Macho-Fêmea, Homem-Mulher; polos opostos positivo-negativo gerando eletricidade, tornando-se uma espécie de dínamo, capaz de gerar e conduzir a própria Energia da Vida. Vivenciar este ato extraordinário qualifica o Ser Humano com a possibilidade da criação. Homem e Mulher unidos no ato sexual são a representação microcósmica da criação universal macrocósmica. Assim como no universo, em algum lugar agora, acontece a criação de estrelas, sistemas estelares, galáxias, etc. Homem e Mulher conectados através do ato sexual também podem experimentar a criação de um novo corpo, um novo universo em miniatura, uma nova criança.

    O contato do espermatozoide masculino com o óvulo feminino, quando a mulher está fértil, abre a possibilidade da criação de um novo corpo, de uma nova criança. Mas, e se a conexão sexual entre Homem e Mulher for estabelecida apenas para gerar o prazer do ato e não um novo corpo? Sem a intensão consciente de trazer uma nova criança ao mundo, como ocorre na grande maioria das vezes, surge um impasse, um entrave para a constância dos atos sexuais.

    Quando o ato sexual é feito sem nenhuma prevenção contraceptiva e neste ato, a Mulher engravida sem que isso seja do consenso de ambos, situação que ocorre com muita frequência, os indivíduos se veem obrigados a se unir por ter gerado um filho ou filha num ato sexual inconsequente e imaturo, ou ainda, mesmo que os indivíduos já sejam casados, a família pode se desestruturar com a chegada de uma nova criança não programada.

    Infelizmente, esta situação ocorre com muita frequência: namorados que se veem obrigados a se unir por ter gerado um filho num ato sexual inconsequente e imaturo, crianças geradas contra a vontade consciente de seus pais e que são rejeitadas desde a concepção. É comum observarmos, depois de algum tempo, casais que vivenciaram esta situação, se separando. E qual foi a causa? Um ato sexual inconsequente. E qual o resultado? Raiva, ódio, rancor, incompreensão, mágoa entre o Homem e a Mulher, e o pior vem depois: mais uma criança desamparada física e emocionalmente no mundo, às vezes largada aos cuidados de terceiros, pois os pais biológicos não se sentem capazes de criá-la. Crianças geradas e criadas sem estrutura familiar tendem a repetir as mesmas ações dos pais.

    Há também, os filhos de pais anônimos, os filhos do estupro ou ainda os filhos de mulheres que tiveram relações sexuais com vários homens e não tem certeza quem é o pai da criança que ela carrega em seu ventre. Estes são chamados filhos indesejados, que trazem dentro de si, a semente de todo tipo de infortúnios que a vida pode proporcionar. A Mulher, em tais circunstâncias, pode adotar uma atitude desesperada e recorrer a prática do aborto, algo que a marcará psicológica e fisicamente para toda a vida. Entre as mais diversas consequências que se pode observar nestes filhos indesejados ou rejeitados está o desenvolvimento de problemas psicológicos e uma tendência à negação da sua própria felicidade, pois se sentem, mesmo que de forma inconsciente, vítimas das circunstâncias da vida.

    Para se evitar ou minimizar essas situações, a ciência criou, há algumas décadas, o anticoncepcional. Esse famoso agente de contracepção deu à mulher o direito de escolher a melhor hora de engravidar. Proporcionou às famílias um melhor controle do quando e como ter seus filhos, preparando-se financeira e psicologicamente para o advento de uma nova vida. Proporcionou, ainda, a independência da Mulher que, com esse interessante instrumento químico de defesa à base de hormônios, poderia ter contato sexual com Homens sem o risco de engravidar. Mas, como tudo na vida, sempre há um preço a pagar.

    O maior contato entre diversos parceiros sexuais trouxe a expansão e maior incidência das DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) e alguns tipos de câncer genitais ligados às DSTs. Outros tipos de câncer, como o de mama, aumentaram significativamente nos últimos 60 anos, apesar de a ciência, de forma geral, não admitir a relação direta entre o uso de anticoncepcionais e o câncer, mais especificamente o de mama. Doenças terríveis como a AIDS surgiram após o advento do sexo livre e descompromissado, no qual Homens e Mulheres não adotam nenhum critério para suas relações sexuais: basta apenas um corpo bonito e atraente, um carro do ano, uma carteira recheada com dinheiro, várias bebidas no bar ou ainda, por puro esporte, tornando o ato sexual uma coisa banal, sem compromisso, sem importância; pensa-se apenas no prazer momentâneo e fútil, por vezes, um simples descarrego de energias.

    A sexualidade entre Homem e Mulher que convivem num relacionamento estável é diferente. O amor e os carinhos são mais intensos. Além do formidável prazer gerado pela conexão, o casal busca o aperfeiçoamento íntimo mútuo, a troca intensa de energia, a paz de espírito, etc. Quando um casal tem um relacionamento estável, o ato sexual é melhor aproveitado, pois amplifica aspectos mais elevados do Ser que Somos, tais como: o amor, a espiritualidade, a compreensão mútua.

    Nossas observações indicam que o relacionamento estável entre Homem e Mulher é mais produtivo e eficaz para a evolução espiritual e íntima da consciência Humana. Invocando a Lei da Correspondência: "O que está em cima é como o que está embaixo. E o que está embaixo é como o que está em cima", percebemos que o Eterno Masculino atua em parceria com o Eterno Feminino, portanto legitimar a relação entre o Homem e a Mulher corresponde a seguir os ensinamentos superiores, ou seja, o casamento formal e legal diante das leis Humanas também se torna legítimo diante das instâncias Superiores do Ser.

    A consciência busca, de todas as formas, experimentar, aprender, melhorar, evolucionar. Contudo, existe algumas poucas consciências que buscam a revolução, o melhoramento íntimo profundo, o aperfeiçoamento magno, a mestria, a liberação total das amarras deste planeta-escola. Estas consciências querem seguir o caminho deixado pelos grandes mestres Jesus Cristo, Buda, Samael Aun Weor, Saint Germain e muitos outros que passaram pelo nosso planeta e deixaram escritas, em letras de fogo vivo, a senda da iniciação íntima, o caminho do autoconhecimento, o ensinamento do despertar da consciência. Para esses revolucionários existe a “Hipótese da Suprasexualidade”.

    O termo “hipótese” surge porque tudo o que aqui está escrito será uma bela teoria inútil, caso ela não seja colocada em prática e experimentada no dia-a-dia na íntegra. A Hipótese da Suprasexualidade supera, com larga vantagem, a sexualidade normal, adotada pela grande maioria das pessoas.

     Abaixo citamos algumas situações que podem ser verificadas pelo praticante:

 

·        Não há perdas energéticas. A experiência indica que ocorre justamente o contrário: o casal, após o ato sexual, se sente energizado e profundamente feliz;

·        Controla a natalidade de forma natural e sem o uso dos recursos artificiais.

·        Proporciona bem-estar e saúde;

·        Desenvolve as percepções e parapercepções Humanas;

·        Permite concentrar energia para a eliminação dos defeitos psicológico (elementos densos);

·        Aumenta a libido, tornando o ato sexual mais intenso e ainda mais desejado;

·        Cria harmonia no lar, tornando o ambiente agradável e protegido;

·        Aumenta a capacidade cerebral, permitindo a verificação de memórias alojadas no subconsciente e inconsciente.

·        Favorece o equilíbrio emocional;

·        Desenvolve a ultrafisiologia do Homem e da Mulher;

·        Proporciona, por meio da qualificação das energias internas, um contato vibracional íntimo e permanente com o Ser que Somos;

·        Favorece o autoconhecimento e qualifica o Ser Humano para investigações conscientes das instâncias superiores do Ser.

 

    A Hipótese da Suprasexualidade está baseada na transformação ou transmutação das energias sexuais, também chamada, no meio místico, de Alquimia Sexual. Analisando a Alquimia Sexual, podemos simplificar o processo dizendo que é um o ato sexual sem o orgasmo. O Homem e a Mulher, conectados, praticam o ato sexual com toda naturalidade e prazer, com muito carinho e felizes por estarem juntos, tudo com muita normalidade até a proximidade do orgasmo, e aí se desconectam, não permitindo o espasmo. No homem a consequência do espasmo/orgasmo é a ejaculação (perda de energia do tipo sexual masculina). A fisiologia da mulher é, obviamente, diferente, porém o orgasmo pode lhe ocasionar, também, a perda de algum tipo de energia sexual. Assim, caso a Mulher queira preservar e transformar a energia do tipo sexual feminina, ela pode evitar inteligentemente o espasmo, canalizando o fluxo de energia pela coluna de forma ascendente. 

    Dessa forma, pode-se converter a matéria prima chamada ens-seminis em energia pura, a Energia da Vida, canalizando essa energia pela coluna vertebral até o cérebro e deste até o coração, que a distribuirá na forma de diversas substâncias e riquíssimos hormônios junto com o sangue para todo o organismo, trazendo saúde, vitalidade, inteligência, defesas energéticas, defesas biológicas, desenvolvimento interno, eliminação de defeitos psicológicos e, ao longo de anos de prática, o despertar da consciência.

    Uma pergunta relevante que surge quando apresentamos a Hipótese da Suprasexualidade é a questão da concepção. É justo se perguntar: Se não há a perda da energia do tipo sexual, ou seja, não existindo a ejaculação do Homem, como a Mulher engravida? A concepção, sob a ótica da Espiritualidade Cientifica, é toda conduzida pelas Instâncias Superiores do Ser. Cabe ao casal no momento em que decidirem trazer uma nova criança a este mundo, pedir aos Regentes Superiores desta área para que permitam o escape de um espermatozoide do Homem e fecunde a Mulher. Quando o casal está conectado sexualmente existe o processo de lubrificação, que no meio místico é conhecido como magnetismo. Durante o Ato Sexual Alquímico o magnetismo se intensifica fortemente e, sob orientação e condução dos Regentes Superiores, é permitido que um espermatozoide escape em direção ao útero para produz a fecundação.

    Entre os Regentes Superiores que conduzem o processo de fecundação, destacamos Gabriel, que é também o Regente Lunar. Gabriel é um Ser magnífico que conduz todo o processo desde a concepção até o nascimento. É comum, para as mães, receber no plano astral a visita de Gabriel anunciando a criança que está em seu ventre. Ele aparece para a mãe em sonhos utilizando a forma de um amigo, sua presença é agradável e sua voz emite uma certeza e confiança extraordinária. Ele informa a mãe o sexo e o nome da criança que ela carrega em seu ventre. Como Ser prestativo e amoroso que é, algumas vezes, soletra o nome da criança, mostrando letra por letra, para que não permaneça nenhuma dúvida.

    Aqui você, leitor(a), se depara com o ‘SER OU NÃO SER’ da filosofia. Se você é um(a) explorador(a) de novos conhecimentos, um(a) desbravador(a) do desconhecido, um(a) experimentador(a) nato(a), um(a) investigador(a) dos mistérios da vida e da morte, se busca, no seu interior, o conhecimento íntimo da natureza e o autoconhecimento espiritual e que não concorda com nada que lhe digam a não ser que comprove por você mesmo(a), experimente, vivencie, a prática da Suprasexualidade. E se as perguntas QUEM SOU? DA ONDE VENHO? O QUE ESTOU FAZENDO AQUI? QUAL O OBJETIVO REAL DA MINHA VIDA? Não saem da sua cabeça, eis a oportunidade de desvendar os mistérios. Aqui está o desafio: prove que a Hipótese da Suprasexualidade vale! Prove para você mesmo(a) que ela é real! Mas saiba que, para isso, precisará experimentá-la profundamente com todo empenho e dedicação do seu Ser.

    Comece a praticar o Ato Sexual Alquímico, se persistir apenas uma semana, dobre sua força de vontade para ficar um mês. Depois, se esforce mais e mais, até que, finalmente, não perca mais suas energias sexuais, pois este é o objetivo final: não perder nenhuma gota. Perceba as diferenças. Você está mais disposto(a)? Olha com outros olhos sua/seu companheira(o)? Tente entrar em acordo com a(o) companheira(o) para facilitar o trabalho Alquímico Sexual. Procurem chegar próximo ao momento do ápice sexual e, depois, juntos, parem, antes que ocorra o espasmo. Sinta o calor, a energia subindo pelas costas até o cérebro e depois chegando ao coração. A Alquimia Sexual se faz com a máxima força de vontade e com o máximo respeito, pois o ato sexual é uma oportunidade de o Ser Humano entrar em contato direto com o Divino, com o Ser transcendental que Somos.

    Perceba as energias a sua volta, perceba o ambiente, as vibrações que lhe chegam. Aprenda a sintonizá-las e a percebê-las. Segundo nossas pesquisas, o Ato Sexual Alquímico é a porta para o Éden. O Paraíso que algumas religiões alegam existir, aquilo que se convencionou chamar de “Céu”, tem sua porta vibracional no Sexo. Por este motivo, a tradição místico-religiosa diz que as “Chaves do Céu” pertencem a Pedro, que significa pedra, a pedra cúbica de Yesod, uma representação do sexo na cabala hebraica.

    Experimente e comprove! Faça e saberá o que significa! Aproveite o que o ato sexual tem de melhor! Transforme suas energias sexuais no combustível para o propulsor da sua própria evolução espiritual interior.

    Nossas pesquisas indicam que uma transformação deste porte precisa ser acompanhada de uma intensa compreensão de todo o processo. Quando optamos por abandonar a forma de praticar o ato sexual com percas energéticas, surgem dúvidas no processo. No caso do Homem, quando resolve reter e transformar suas energias sexuais, não permitindo chegar ao orgasmo e à consequente ejaculação do sêmen, podem surgir dores nos testículos. Estas dores são usadas, normalmente, como desculpa para abandonar a prática e se afastar do Ato Sexual Alquímico. Porém, esclarecemos que estas dores desaparecem em pouco tempo, pois é uma questão de adaptação do organismo à nova forma de praticar o ato sexual.

    Em todos estes anos de pesquisa, questionamos fortemente todo o processo de transformação de energia interna, pois queríamos saber em detalhes, o que de fato acontecia em nosso interior. Um dos momentos mais esclarecedores desta jornada de autoconhecimento foi quando entramos em contato com o Sol, nossa estrela mais próxima e fonte de toda vida na Terra. Por meio de um exercício de visualização do Sol, estabelecemos uma conexão direta com o Senhor do Sistema, que nos esclareceu os porquês da transformação Alquímica Sexual.

    A cada dia recebemos muita luz do Senhor da Vida, o Sol. Esta luz, ao entrar em nosso Corpo Humano, produz, por meio de inúmeras reações químicas, os hormônios e demais substâncias da Vida para nosso corpo. Sabemos da importância dos alimentos e seus nutrientes para o corpo, porém, é fato notório que tais alimentos só se tornam possíveis de nos alimentar graças à luz do Sol. A combinação dos nutrientes provenientes da Terra, em conjunto com a Água, Ar, calor (Fogo) e a luz (Prana) proveniente do Sol produzem, dentro do nosso laboratório Humano, a máxima expressão da Vida: o espermatozoide no Homem e o óvulo na Mulher. Dentro destas magníficas células sexuais Humanas estão todos os princípios essenciais e universais da Vida.

    Para os animais, vale a mesma explicação. Porém, no reino animal, a Mãe Natureza criou um mecanismo de controle desta energia, fazendo com que os animais só entrem em contato sexual nos seus períodos férteis. Este procedimento minimiza os gastos energéticos, preservando e melhorando a qualidade das espécies.

    O Ser Humano, ao longo do seu período de evolução, mudou a forma de “olhar” o ato sexual. No começo do desenvolvimento como espécie, era para procriação, como os demais animais. Porém, hoje, o ato sexual e, de forma mais ampla, a sexualidade Humana, vai muito além da preservação da espécie. Nossa cultura atual é toda permeada pela sexualidade. Filmes, novelas, livros exploram ao máximo o romance entre seus personagens que, inevitavelmente, terminarão em sexo. Roupas, perfumes, adereços são produzidos com claros objetivos de produzir a atração do tipo sexual. Existe uma busca por alimentação específica e academias para desenvolver corpos atléticos, o que, no pensamento de alguns indivíduos, é um potencial a mais em sua sexualidade. Drogas são desenvolvidas para melhorar a performance sexual. Bares, boates, casas de prostituição e toda uma vida noturna se especializaram, em nossa sociedade, para atender à demanda sexual Humana.

    Estas condições de facilidade para experiência sexual, como descrevemos acima, conduzem as populações Humanas a um estado de “embriaguez sexual”. Viver desta forma, encarando nossa própria sexualidade de forma fútil e descompromissada, conduz a Humanidade a estados vibracionais ilusórios. O constante desperdício da energia sexual em explosões de prazer, apenas pelo prazer, gera o fortalecimento das egrégoras que atuam nesta área, mantendo o Humano cativo dentro de uma ilusão, um torpor similar à embriaguez, um estado de inconsciência, uma vibração inferior que se aproxima da vibração animal e que tem como consequência a degeneração Humana.

    Alguns Homens e Mulheres conheceram este segredo da transformação das energias sexuais que, antes da nossa época, era guardado a sete chaves, e aplicaram tal conhecimento em benefício próprio, se transformando em Seres Humanos distintos. Hoje, graças ao Senhor Samael Aun Weor, ilustre mestre contemporâneo, este conhecimento se tornou público, porém, por incompreensão ficou reservando à área mística. A ciência não investiga o ato Sexual Alquímico, justamente porque os próprios cientistas não se sentem compelidos a fazer a mudança.

    Este artigo tem como objetivo levar o conhecimento da Hipótese da Suprasexualidade para o campo da ciência. Diante do papel e do poder que a ciência tem em nossa vida diária, entendemos que é fundamental que este conhecimento, ligado à nossa sexualidade, seja estudado em profundidade pelo meio acadêmico. No futuro, é possível que cursos universitários e profissionais altamente qualificados em pesquisa se dediquem a este tema. A Espiritualidade Científica precisa se tornar uma realidade em nossa sociedade, em nossa cultura. O Ser Humano tem, dentro de si mesmo, um potencial extraordinário. Tal potencial do tipo Espiritual-Espacial permanece inexplorado, por pura e simples ignorância.

    Como dissemos anteriormente, a ciência, em geral, rejeita aspectos do Ser Humano considerados místicos ou que tenham conotação espiritual. Este fato se deve às perseguições religiosas em um passado não muito distante que ficaram gravadas no inconsciente coletivo e atravancam a evolução da ciência nesta área. No entanto, se os Homens e Mulheres da ciência mudassem sua forma de pensar em relação ao que existe no universo além do “Mundo Físico”, poderiam verificar, por si mesmos, as magníficas realidades multidimensionais do Cosmos, dentre elas, a capacidade do Ser Humano de inverter o fluxo de energia do tipo sexual, canalizando-o de forma ascendente.

    Hoje, a maioria esmagadora dos Humanos na superfície da Terra joga sua energia sexual para fora. A Hipótese da Suprasexualidade propõe justamente o inverso: que cada Homem e cada Mulher, praticantes do Ato Sexual Alquímico, retenha suas energias sexuais e as transforme dentro do próprio organismo Humano. Esta poderosa energia da criação é notável e extraordinária.

    Os alquimistas medievais diziam que tal energia podia transformar o chumbo em ouro. Certamente, cabe uma interpretação destas palavras: o chumbo a que se referiam os alquimistas corresponde às imperfeições da personalidade Humana, assim como o ouro, fruto da transformação do chumbo, corresponde às Virtudes da Alma ou à manifestação plena do Espírito, do Ser que Somos.

    Preservar e transformar a energia sexual dentro de nós mesmos é uma questão de inteligência. No Homem, cada espermatozoide contém a Vida em si mesmo. O organismo sabiamente projeta na semente Humana tudo que há de melhor. Ao observar o espermatozoide à luz da Espiritualidade Científica, evidenciamos que esta semente masculina é a própria vida em miniatura. Refrear os impulsos animais e assegurar que esta semente não saia do corpo é uma virtude extraordinária, conhecida no meio místico como Castidade.

    Para a mulher vale o mesmo procedimento. A mulher com consciência da sua energia também pode evitar o orgasmo, preservando e transformando suas energias do tipo sexual de forma similar ao Homem. Sabemos que a energia do tipo sexual é muito intensa na questão do seu potencial. Fazendo uma analogia a um sistema elétrico comum, podemos associar a energia do tipo sexual dentro de nós a uma fonte de alta voltagem. Quando projetamos nossa energia do tipo sexual para fora de nós, ligamos determinados circuitos elétricos do interior do Corpo Humano que suportam baixa voltagem em uma fonte de alta voltagem. Tal fato, resulta na queima dos microfilamentos cristalinos, perda de neurônios e, por fim, desconexão com as instâncias superiores do Ser. Infelizmente, nossa observação nos indica que a perda constante de energia do tipo sexual conduz a queima do sistema nervoso o que interfere radicalmente na comunicação interna, pois um cérebro danificado não consegue reter as informações provenientes da consciência em níveis mais elevados do Ser que Somos.

    Durante nossas pesquisas internas observamos o que acontece no Corpo Humano durante o orgasmo. Existe um padrão de comportamento entre nós, Humanos, que se aproxima de uma obsessão pelo orgasmo, uma espécie de culto a este momento, considerado o ápice do ato sexual. Nossas pesquisas indicam que tal obsessão conduziu o Ser Humano ao vício do orgasmo. O orgasmo produz uma descarga elétrica em todo o corpo e, em especial, no cérebro, e provoca a liberação de várias substâncias dentro do organismo Humano, atingindo diretamente os centros de prazer, viciando o indivíduo. O vício do orgasmo, com a consequente perda energética, que no Homem se traduz em ejaculação, ficou conhecido, dentro do meio místico-espiritual, como fornicação. Para os pesquisadores que adotam a mística como sua principal fonte de informação, esclarecemos que fornicação é o nome do demônio em forma de serpente responsável pela tentação de Adão e Eva no paraíso bíblico.

    Na visão Espiritual-Espacial, contemplamos esta serpente astuta e tentadora como uma entidade do abismo, vibrando na nona esfera inferior do Tritocosmos. Sua função é convencer os Humanos a se comportar como animais e assim viciá-los no orgasmo e, por consequência, na perda de energia do tipo sexual. Informamos que as entidades infradimensionais ligadas à fornicação se deliciam com a energia do tipo sexual quando o Humano incauto a libera de seu organismo. Tais entidades são similares a vampiros, recolhendo o material essencial contido na substância ens-seminis. A falange ou egrégora que rege estas entidades é terrivelmente forte; cabe ao praticante uma suprema força de vontade para não cair, a cada ato sexual, nos braços hipnóticos da fornicação.

    Para aqueles que querem, com toda a sua vontade e de todo seu coração, sair do vício da fornicação, ajustando, assim, o fluxo de energia do tipo sexual na forma ascendente em sua coluna vertebral, colocamos abaixo um poderoso exercício que ajudará o praticante do Sexo Alquímico a eliminar o elemento denso chamado fornicação (é necessário falar):

 

Eu Renuncio fornicação.

Em Nome de Cristo, Pelo Poder de Cristo e Pelo Sangue de Cristo!

Eu Renuncio fornicação.

Em Nome de Cristo, Pelo Poder de Cristo e Pelo Sangue de Cristo!

Eu Renuncio fornicação.

Em Nome de Cristo, Pelo Poder de Cristo e Pelo Sangue de Cristo!

Assim Seja, Assim Seja, Assim Seja!

Assim Seja, Assim Seja, Assim Seja!

Assim Seja, Assim Seja, Assim Seja!

Amém, Amém, Amém!

Amém, Amém, Amém!

Amém, Amém, Amém!

 

    Fazendo uso da Lei da Renúncia, o defeito é marcado para ser eliminado. Após a identificação, compreensão e análise do elemento denso em questão e da pronúncia da Lei da Renúncia, vem a eliminação propriamente dita. Elimina-se o elemento denso, ou seja, purifica-se todo o condicionamento vibratório no qual a essência-consciência está aprisionada, libertando-a. Para que isso ocorra de forma acelerada e precisa, utiliza-se um catalisador chamado vibração Violeta, ou simplesmente, Chama Violeta, que por meio da Misericórdia Divina tem a função de desintegrar o elemento denso que envolve a essência.

 

    Invoque-a na forma como se segue:

 

Mãe Divina, Mãe Divina, Mãe Divina!

Eu invoco aqui e agora a Chama Violeta!

Mãe Divina, Mãe Divina, Mãe Divina!

Eu invoco aqui e agora a Chama Violeta!

Mãe Divina, Mãe Divina, Mãe Divina!

Eu invoco aqui e agora a Chama Violeta!

 

    Visualize uma espada em sua mão direita (a forma de espada corresponde à representação de um instrumento de poder do próprio Ser que você É) e crave-a no defeito. Deixe sua mente livre para que a visualização seja conduzida pela intuição. Diga com todo o seu coração (é necessário falar):

 

Eu Sou a Chama Violeta que atua em mim e reluz!

Eu Sou a Chama Violeta só me submeto à Luz!

Eu Sou a Chama Violeta Poder Cósmico Farol!

Eu Sou a Chama Violeta radiante como um Sol!

Eu Sou a Luz de Deus a toda hora brilhando!

Eu Sou o Poder de Deus que a todos vai libertando!

 

    Aumente a velocidade com que recita o decreto acima para intensificar o processo. Faça este decreto até o momento em que sinta, em seu Íntimo, que o elemento denso foi totalmente eliminado e a essência-consciência está livre. Lembre-se: sua intuição é quem dita e norteia todo o processo de eliminação do elemento denso.

    Faça o Decreto da Chama Violeta até sentir em seu coração o momento adequado de parar. Com o tempo, desenvolvem-se outras percepções que afinam o sentimento, tais como: visão interna, audição interna e uma forte intuição que irão aperfeiçoando o processo, resultando em melhores condições de realizar o trabalho íntimo de eliminação de defeitos.

    A Lei da Renúncia e a sequência da invocação da Mãe Divina e da Chama Violeta podem ser feitas sempre que necessário. É importante manter-se atendo em relação a esta serpente astuta da fornicação, pois seu campo de atuação é vasto e sua vibração é do tipo hipnótica. Esclarecemos que existem 49 níveis mentais e que tal elemento sendo eliminado em um nível pode se manifestar em outro.

    O Aspecto Feminino do Universo, que aqui chamamos de “Mãe Divina”, é parte integrante do nosso próprio Ser que se encarrega da eliminação dos elementos densos. Precisamos ser muito sinceros e humildes diante deste poder Universal Feminino. Inverter o fluxo da energia do tipo sexual corresponde precisamente a eliminar, em definitivo, a fornicação. Assim, as Energias da Vida que antes, com a fornicação, jorravam para fora do corpo, podem, seguindo a Hipótese da Suprasexualidade, serem reabsorvidas e transformadas dentro do maior e mais completo laboratório do Universo: nosso próprio Corpo Humano.

    Esta é uma mensagem cósmica. Nossos irmãos e irmãs que vivem nas esferas planetárias em dimensões superiores vibram intensamente para que nós, habitantes do Planeta Terra, reconheçamos nossa herança Espiritual-Espacial e possamos nos libertar da hipnose coletiva. A eliminação da fornicação é o ponto de partida de um processo de transformação interna. A liberdade final, também chamada mestria, ascensão, exige energia. A fonte de energia está em nós mesmos.

    Todos os dias o Sol, como um Banco Cósmico da Graça Divina, deposita seus “Átomos Solares” em nosso corpo, que são conduzidos por um processo sofisticado e complexo até as glândulas sexuais. No momento que jogamos nossa energia sexual para fora do nosso corpo, somos semelhantes ao homem que vai ao banco, saca uma grande quantidade de dinheiro e joga tudo na rua, desperdiçando suas finanças. Por outro lado, quando, por meio da compreensão e da força de vontade, renunciamos à fornicação e retemos nossa energia do tipo sexual, conduzindo-a inteligentemente em um processo de ascensão interna, somos semelhantes ao homem que, sabiamente, aplica seu dinheiro em ótimos investimentos, que lhe renderão frutos maravilhosos.

    Faz necessário e urgente entender em definitivo, que nosso Financiador Cósmico é o Sol, a nossa estrela mais próxima, o Senhor da Vida. Ele é o Cristo de Fogo Vivo que incentiva seus filhos a se tornarem como Ele, uma estrela, um novo Sol, um novo Cristo, porém em miniatura, ocupando um Corpo Humano. Nosso Cristo Íntimo, o Senhor da Vida que vibra em nosso coração, se alimenta da Fonte da Vida Cósmica. Por este motivo, ao refrear o instinto animal, evitando com todas as forças a fornicação, conduzimos conscientemente a energia sexual transformada em vibrações magníficas à cabeça, passando pela coluna vertebral e, logo depois, ao coração. Este procedimento intensifica o Poder Crístico em nós, nos transformando Nele e Ele em nós.

    Concluímos este artigo ressaltando que estas informações aqui expostas correspondem há muitos e muitos anos de estudo. Sabemos da desconfiança que o Ser Humano tem do novo. A novidade, a princípio, causa desconforto, é comum recuarmos diante das dificuldades iniciais. Entretanto, também é verdade que o Ser Humano é um investigador nato, que busca intensamente as razões e os porquês da Vida, que não se conforma com a mediocridade. Portanto, sugerimos que você, estimado(a) leitor(a), faça suas próprias investigações sobre este tema, prove para você mesmo que a Hipótese da Suprasexualidade é factível, que pode ser vivenciada em toda sua plenitude. Somente a prática do Ato Sexual Alquímico permite que a Suprassexualidade deixe de ser uma hipótese e se torne um fato real e verdadeiro.

 

25 de dezembro de 2016.

 

 

 

Baixar este arquivo em PDF, ideal para impressão